Área restrita
Home
Site in English
A Associação
Associados ABRETI
Cursos, Palestras e Eventos
Sala de Imprensa
Notícias
Serviços
Contato
Este canal da ABRETI serve como um centro de informações coletivas. Novidades resultantes de ações políticas e econômicas que afetam a atividade dos transportes internacionais, cases do setor e informações gerais estão relacionados em ordem cronológica. Consulte este canal sempre que precisar.
ABRETI | Mercado

Título: Porto de Santos passará por reformas de infra-estrutura
Fonte: Jornal do Commercio/RJ
< Voltar

Conteúdo: Dragagem de aprofundamento deverá começar no 2º semestre de 2008

Uma das obras de infra-estrutura previstas no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) para o Porto de Santos, a dragagem de aprofundamento do Porto de Santos, deve começar no segundo semestre de 2008, segundo com a Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp). Atualmente, o projeto está em fase de elaboração de estudos para a obtenção de licenciamento ambiental. "Existe uma perspectiva, uma meta de começar essa obra no segundo semestre do ano que vem e o prazo (para conclusão da obra) pode ser de até 24 meses, podendo encurtar isso", disse o diretor comercial e de desenvolvimento da Codesp, Fabrizio Pierdomenico.

O diretor explica que a empresa contratada pela Codesp para realizar os estudos, a Fundação Ricardo Franco, está terminando o Estudo de Impacto Ambiental (EIA) para que então seja elaborado o Relatório de Impacto Ambiental (RIMA) e o prazo estimado para apresentar o EIA-RIMA ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) é até 15 de janeiro. "Esperamos que o licenciamento seja rápido em função de que o governo tem dado prioridade para esse tipo de obra, e uma vez tendo a licença prévia, já estaríamos autorizados a fazer a concorrência", explica.

Atualmente, a profundidade do Porto de Santos varia de 14 metros na entrada da barra a 12 metros na região da alamoa, e para que esses níveis sejam mantidos, a Codesp realiza a dragagem de manutenção, com a retirada mensal de 300 mil metros cúbicos de resíduos do canal. O projeto em questão prevê, em uma primeira etapa, a ampliação da profundidade para 15 metros nos cerca de 25 quilômetros de extensão do estuário. Em outras fases, a idéia é que a profundidade chegue a 17 metros.

O projeto prevê ainda a ampliação da largura do canal para o mínimo de 220 metros, o que representaria um acréscimo de até 40 metros em trechos de curva, ou, numa segunda alternativa, para uma faixa de 250 a 400 metros. De acordo com a Codesp, a obra permitirá o cruzamento de 85% das embarcações que utilizam o Porto, evitando perda de tempo para aguardar melhores condições de maré, além de aumentar em um metro o calado das embarcações, o que representa um ganho de mais 600 contêineres carregados por navio. O andamento dos estudos para a realização da dragagem de aprofundamento tem sido acompanhado de perto pela comunidade portuária.

PROJETO. Na última terça-feira, a Codesp apresentou o projeto na reunião mensal do Conselho de Autoridade Portuária (CAP) - órgão deliberativo, consultivo e normativo, constituído pelas entidades diretamente envolvidas na atividade portuária.

O presidente do CAP, Celso Quintanilha, da Agencia Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq), afirmou que os membros do órgão ficaram muito satisfeitos ao saber do andamento do projeto. "Eles elogiaram o nível de trabalho que vem sendo apresentado", afirmou.

ABRETI - Associação Brasileira das Empresas de Transporte Internacional - 2005 - Todos os direitos reservados