Área restrita
Home
Site in English
A Associação
Associados ABRETI
Cursos, Palestras e Eventos
Sala de Imprensa
Notícias
Serviços
Contato
Este canal da ABRETI serve como um centro de informações coletivas. Novidades resultantes de ações políticas e econômicas que afetam a atividade dos transportes internacionais, cases do setor e informações gerais estão relacionados em ordem cronológica. Consulte este canal sempre que precisar.
ABRETI | Mercado

Grupo privado construirá novo porto em SC
Veículo: Jornal: Valor Econômico - Seção: Empresas - 26/10/2005
< Voltar

Três empresas e um fundo de investimento suíço devem aportar R$ 423 milhões em Navegantes

Vanessa Jurgenfeld De Florianópolis

A região de Itajaí deve ganhar mais um porto. Um grupo privado, constituído de três empresas e um fundo de investimentos suíço, está dando início à construção do Porto de Navegantes. O empreendimento ficará em frente ao porto de Itajaí, administrado pela prefeitura da cidade, abrindo concorrência principalmente na logística de cargas frigorificadas, como carnes.

A empresas Ivaí Engenharia e Obras (PR), Triunfo Participações e Investimentos (SP), Maresgaudium (PR) e o fundo Backmoon Investment formaram a Sociedade de Propósito Específico Portonave, que nos últimos quatro anos estudou a região e comprou áreas às margens do rio Itajaí-Açu, que separa as cidades de Navegantes e Itajaí, para construção do porto.

Os investimentos totais somam R$ 423 milhões, sendo que R$ 26 milhões deverão ser gastos pelo poder público em obras de infra-estrutura no local, como asfalto e energia elétrica.

De acordo com o presidente do conselho de administração da Portonave, Carlo Bottarelli, numa primeira fase das obras serão investidos R$ 359 milhões. O porto terá 750 metros de cais, três berços de atracação e 250 mil metros quadrados de retroárea pavimentada, com intenção de receber navios de até 290 metros de comprimento. As obras ficam prontas em outubro de 2007. Uma segunda fase, com os demais investimentos, está prevista no orçamento da empresa para iniciar em 2011, mas ainda vai depender da demanda do porto.

Segundo Bottarelli, o foco do Porto de Navegantes no transporte de cargas frigorificadas acontece pelo potencial que há neste mercado em Santa Catarina, maior estado exportador de suínos, e que concentra empresas de porte como Aurora, Sadia e Perdigão.

Entre os sócios do porto não há nenhum que atue no setor agropecuário. Mas há planos para o segmento de armazenagem dessas cargas. "O direcionamento para o setor de carnes é uma visão estratégica do grupo. É um mercado onde o Brasil tem um grande potencial de crescimento, ainda que sofra com problemas sanitários", explica Bottarelli, acrescentando que o grupo pretende montar um armazém para a estocagem das carnes.

Tanto a Ivaí quanto a Triunfo são indústrias de construção pesada, possuem participações em empresas de concessões rodoviárias, e estão fazendo sua estréia no setor portuário. A Maresgaudium, criada especialmente para atuar na Portonave, é do empresário Agostinho Leão, que idealizou os terminais da Ponta do Felix, em Antonina (PE). E o fundo de investimentos, voltado à infra-estrutura, busca uma parceria para as atividades operacionais do porto.

Todo o capital será privado, assim como é no Porto de Itapoá, também em Santa Catarina, anunciado no fim de agosto, com investimentos dos grupos Battistella e Aliança Hamburg Süd.

Com o Porto de Navegantes, a região norte ficará com quatro portos, e Santa Catarina terá um total de cinco. No norte, além de Itapoá, Itajaí e Navegantes, há também o de São Francisco do Sul, focado em granéis, que não deverá entrar na concorrência que será travada no setor de carnes. Hoje, o porto de Itajaí é um dos maiores do país em movimentação de carnes e é lá que está o terminal da Braskarne, que movimenta somente as cargas da Seara.

Segundo Bottarelli, todos os estudos de impacto ambiental já foram aprovados e a empresa possui licença de instalação, tendo a obra iniciado há 10 dias, com a cerimônia do marco inicial marcada para hoje. Os incentivos tributários do governo estadual ainda não foram fechados.

ABRETI - Associação Brasileira das Empresas de Transporte Internacional - 2005 - Todos os direitos reservados