Área restrita
Home
Site in English
A Associação
Associados ABRETI
Cursos, Palestras e Eventos
Sala de Imprensa
Notícias
Serviços
Contato
Este canal da ABRETI serve como um centro de informações coletivas. Novidades resultantes de ações políticas e econômicas que afetam a atividade dos transportes internacionais, cases do setor e informações gerais estão relacionados em ordem cronológica. Consulte este canal sempre que precisar.
ABRETI | Mercado

Título: Cumbica pode receber mais carga aérea
Fonte: ANBA - 14/02/2008
< Voltar

O Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos, está preparado para atender ao aumento do transporte de cargas por via aérea entre o Brasil e os países árabes.

A informação foi dada ontem (12) à ANBA pelo superintendente regional da Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero), administradora do aeroporto, Reinaldo João de Souza.
O volume de produtos brasileiros exportados para o mundo árabe por avião aumentou em 60% no ano passado.

Segundo ele, Guarulhos é voltado principalmente ao transporte de passageiros, mas uma grande quantidade de carga é embarcada e desembarcada dos porões das aeronaves. “Queremos reforçar esta característica e estamos preparados para atender a demanda que venha, tanto para importação como para exportação”, disse Souza, que visitou a sede da Câmara de Comércio Árabe Brasileira, em São Paulo , acompanhado do assessor especial da presidência da Infraero, Edgard Brandão Jr., da gerente de relações públicas, Vera Regina Biojone, e da assessora de imprensa, Lúcia Ferreira Gonçalves.

O frete aliado ao transporte de pessoas vem sendo utilizado por companhias como a Emirates Airline, que inaugurou um vôo direito entre Dubai e São Paulo em outubro do ano passado.
A empresa tem tido um alto nível de ocupação tanto cargas quanto de passageiros.

De acordo com Souza, os produtos transportados via aérea são os de maior valor agregado. Como exemplos, ele e Brandão citaram equipamentos de informática, medicamentos, motores, máquinas, frutas, calçados e tecidos.

Para cargueiros somente é utilizado o Aeroporto de Viracopos, em Campinas, no interior do estado que, segundo os representantes da Infraero, tem também condições de responder ao aumento da demanda. “Viracopos tem hoje o mais moderno terminal de cargas da América Latina”, disse Brandão.

Os aeroportos paulistas juntos, de acordo Souza e Brandão, respondem por 15% do valor total das importações brasileiras, o que dá mais de US$ 18 bilhões considerando os dados das compras externas do país no ano passado.

Segundo Brandão, a Infraero tem trabalhado junto aos outros órgãos que atuam no desembaraço de mercadorias – como a Receita Federal e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) – para diminuir os prazos de liberação. “Nossa busca é conseguir reduzir os prazos de liberação das mercadorias, que são um grande gargalo”, afirmou.

Em Guarulhos existem, por exemplo, categorias diferentes para o desembaraço, como a “Linha Azul”, utilizada por empresas credenciadas junto à Receita que fazem transações regulares e que demonstraram confiabilidade ao longo do tempo. Neste caso, de acordo com Brandão, a análise dos contêineres é feita por amostragem. “A Receita sabe em quais empresas pode confiar”, disse.

No caso de Viracopos, de acordo com Brandão, foi implantado um programa de análise do tempo gasto em todas as etapas do desembaraço, o que permite identificar qual o órgão ou departamento mais demorado e fazer os ajustes necessários. Este modelo, segundo ele, está sendo “exportado” para Guarulhos.

Recepção


Com a diretoria da Câmara Árabe, os representantes da Infraero discutiram também maneiras de melhorar a recepção de autoridades e empresários árabes. “Os aeroportos são a principal porta de entrada para quem vem conhecer o Brasil e queremos cumprir bem esse papel”, afirmou Souza.

O presidente da Câmara, Antonio Sarkis Jr., destacou que o aumento do número de visitantes árabes após o início do vôo da Emirates vai se refletir no comércio. “É importante trabalharmos em parceria para que o visitante seja bem recebido e tenha uma boa impressão do país”, declarou.

O vice-presidente administrativo da entidade, Paulo Atallah, ressaltou que a Câmara está trabalhando para atrair investimentos árabes ao Brasil, especialmente no setor de turismo. “Delegações de investidores virão ao país”, disse.

Souza ressaltou que é possível fazer recepções diferenciadas em ocasiões especiais para facilitar a vida dos empresários, inclusive com parcerias com a Receita Federal para atender delegações e participantes de eventos internacionais de negócios. O Aeroporto de Guarulhos recebe anualmente cerca de 18 milhões de passageiros por ano e, segundo Brandão, o movimento deverá chegar a 55 milhões de pessoas em 2025.

Participaram também da reunião de ontem o secretário-geral da Câmara Árabe, Michel Alaby, os vice-presidentes de Marketing, Rubens Hannun, de Relações Internacionais, Helmi Nasr, de Comércio Exterior, Salim Schahin, e os diretores Bechara Ibrahim, Nahid Chicani, Marcelo Saloum, Toufic Sleiman, Adel Awada, Mustapha Abdouni e Mustapha Mourad.

ABRETI - Associação Brasileira das Empresas de Transporte Internacional - 2005 - Todos os direitos reservados