Área restrita
Home
Site in English
A Associação
Associados ABRETI
Cursos, Palestras e Eventos
Sala de Imprensa
Notícias
Serviços
Contato
Este canal da ABRETI serve como um centro de informações coletivas. Novidades resultantes de ações políticas e econômicas que afetam a atividade dos transportes internacionais, cases do setor e informações gerais estão relacionados em ordem cronológica. Consulte este canal sempre que precisar.
ABRETI | Mercado

Título: Governo pode aliviar impostos para compensar câmbio
Fonte: Reuters
Seção: Economia
< Voltar

Conteúdo: Ministro da Fazenda fala em medidas para ajudar setores da economia afetados pelo fortalecimento do real

O Brasil procura por medidas tributárias para ajudar setores da economia afetados pelo fortalecimento do real, disse o ministro da Fazenda, Guido Mantega. O dólar renovou a mínima em seis anos, cotado a 2,020 reais na sexta-feira. "Temos que aliviar a carga tributária dos setores que mais sofrem com o câmbio valorizado. Por exemplo, os setores de mão-de-obra intensiva, setores de alta tecnologia", disse Mantega a repórteres em Washington.

Mantega, que esteve na cidade para a reunião do Fundo Monetário Internacional, disse, entretanto, que isso não significa que o governo colocará em prática uma "política de socorro". Ele disse que as medidas estariam relacionadas a impostos, principalmente reduzindo obrigações sobre salários.

"Temos que reduzir a despesa com pessoal para as empresas que têm mão-de-obra intensiva, para que possam competir em situação de igualdade com empresas que produzem lá fora que pagam menos impostos ou têm menos gastos previdenciários", disse. "Nós temos que equilibrar esse jogo."

Ele não especificou se o governo está estudando uma redução nas contribuições previdenciárias, mas acrescentou que as reduções seriam em "setores de alta tecnologia" e que somente as que ajudam a manter os níveis de emprego.

Umas das principais potências mundiais de commodities, os exportadores do setor no Brasil dizem sofrer com o câmbio no nível atual. O ministro disse que a valorização de uma moeda é normal quando um país está alcançando o ambiente necessário para chegar ao grau de investimento.

Grau de investimento?
Mantega também criticou as agências de classificação de riscos por não olharem mais cuidadosamente os indicadores da economia brasileira para, assim, darem ao país o grau de investimento em breve. Ele disse que visitará agências em Nova York na semana que vem para tentar mudar esse cenário.

"Estamos a dois degraus do investment grade. Nós estamos com BB e precisamos passar paro BB+ e BBB-", disse. “Não vou citar nomes para não ser indelicado, mas é só fazer uma comparação e ver que alguns países que têm melhor classificação não têm as condições que nós oferecemos."
O Brasil recentemente revisou seu Produto Interno Bruto e a relação dívida/PIB, item que preocupa agências, foi reduzida de 49,7% para 44,6%.

O país também aponta para a redução das vulnerabilidades externas devido a mais reservas e um volume menor da dívida em moeda estrangeira para reivindicar mudanças. Apesar disso, agências como a Standard and Poor's e a Fitch têm dito que a dívida no Brasil ainda é alta em comparação a outros países com a mesma avaliação de risco.

ABRETI - Associação Brasileira das Empresas de Transporte Internacional - 2005 - Todos os direitos reservados