Área restrita
Home
Site in English
A Associação
Associados ABRETI
Cursos, Palestras e Eventos
Sala de Imprensa
Notícias
Serviços
Contato
Este canal da ABRETI serve como um centro de informações coletivas. Novidades resultantes de ações políticas e econômicas que afetam a atividade dos transportes internacionais, cases do setor e informações gerais estão relacionados em ordem cronológica. Consulte este canal sempre que precisar.
ABRETI | Mercado

Situação cambial diminui expectativas de empresas de transporte internacional de cargas
Veículo: Site: Global 21 - Seção: Transporte e Logística - 5/9/2005
< Voltar

O aumento dos fretes aéreo e marítimo também afeta o setor.

Mário Fernandes, presidente da Abreti, entidade que será expositora da Feira Transnacional 2005, ressaltou que, além da queda do dólar, o aumento dos fretes aéreo e marítimo também reduz a lucratividade do setor. O pequeno crescimento da economia e a queda do dólar frente ao real já preocupam o setor de transporte internacional de cargas e diminui as expectativas de crescimento para esse ano. "Nossa receita é em dólar e nossos custos em real. Com isso, nossa lucratividade é afetada", declarou o presidente da Associação Brasileira das Empresas de Transporte Internacional (Abreti), Mário Fernandes.

Segundo o executivo, o aumento dos fretes aéreo e marítimo também afeta o setor. "As companhias marítimas sobem os fretes por falta de espaço nos navios e as companhias aéreas, que também sofrem com a questão da lucratividade, aumentam os fretes por conta do alto preço do petróleo", afirmou ao NetMarinha.

Fernandes, que também é diretor financeiro da DHL, ressaltou que o setor enfrenta ainda problemas em relação a infra-estrutura logística brasileira e aos processos burocráticos pertinentes ao comércio exterior. "A estrutura atual de portos e rodovias é precária. No Estado de São Paulo a situação é um pouco melhor, mas no resto do Brasil está um absurdo", comentou.

Conforme explicou o presidente da entidade, uma das preocupações da Abreti é buscar junto a órgãos governamentais como o Banco Central, Receita Federal, portos e aeroportos, soluções para as atividades do transporte internacional de cargas.

"Nossa maior preocupação é facilitar a operação desse mercado que muitas vezes é complicado", salientou. "Queremos contribuir com os órgãos, fazendo com que os controles sejam feitos de uma forma mais prática e menos custosa", completou.

Fonte: Net Marinha

ABRETI - Associação Brasileira das Empresas de Transporte Internacional - 2005 - Todos os direitos reservados